Marketing Médico: 8 Estratégias Imprescindíveis para 2021

Postado: 12 de abril de 2021

Tudo o que você precisa saber para alavancar o seu consultório

Uma coisa é certa: o marketing médico se tornou uma ferramenta essencial em 2021. Apesar de agilidade e adaptabilidade não serem novidades para o profissional de marketing médico, o panorama atual não é mais como antes.

A pandemia criou incerteza, instabilidade econômica e volatilidade política. Localmente, nacionalmente e globalmente, os cuidados com a saúde estão em foco.

Um ambiente perfeito para uma construção de marca e geração de demanda!

Entretanto, o ambiente para médicos e organizações da área da saúde precisam se adaptar se desejam continuar competitivos.

Sendo a primeira empresa de marketing médico do Brasil, e conhecendo o mercado desde 2001, aqui estão as tendências para o profissional da área da saúde manter os olhos em 2021 – onde investir, como investir, e algumas reflexões sobre o futuro do marketing médico que conhecemos.

1. As consequências da pandemia serão duradouras

A pandemia da COVID-19 tem sido um processo árduo para o mundo, e os impactos ainda serão sentidos nos próximos anos.

Ao longo do ano passado, pessoas e empresas ficaram sem muita garantia sobre o que é ou não seguro e quando seria o fim da pandemia. O momento de incerteza causou uma onda massiva de desempregos, que chegou a atingir uma alta histórica de 14,7%, em abril de 2020, nos EUA – um dos países mais afetados. Em julho de 2020, o LinkedIn se tornou o último grande nome a anunciar uma demissão massiva de quase 1.000 funcionários.

Os desafios no marketing médico na pandemia de COVID-19.

A partir desse panorama social, e entendendo a dinâmica dos canais de comunicação, principalmente das redes sociais, histórias de terror começaram a se espalhar, assim como informações imprecisas ou desatualizadas de fontes não médicas. Como resultado, muitos profissionais de marketing médico fizeram uma pausa nas estratégias tradicionais de geração de demanda nas quais confiavam no passado.

Como isso impacta o marketing médico?

Por saber que a COVID-19 não vai sumir da noite para o dia, os profissionais de marketing médico terão que fazer o que sempre fizeram: pivô (dar suporte).

Em uma entrevista recente, Kurt Lee Hurley, diretor de marketing (CMO) da American Family Care – renomado hospital localizado nos EUA –, disse o seguinte:

“Sempre haverá algo que perturba o mercado ou interfere nos planos mais elaborados. Sendo assim, todo bom profissional de marketing médico precisa estar preparado para ser pivô. Não somos apenas pessoas criativas, mas também analíticas. No final de tudo, um bom profissional de marketing médico deve ser capaz, mais do que nunca, de ser disruptivo – quebrar padrões – e manter a roda girando daqui a frente.”

Com isso em mente, aqui você poderá ver as estratégias de marketing médico de alto nível que estão sendo adotadas no mundo em 2021.

2. Uma comunicação eficaz é essencial

Em um ambiente em que até as visitas de rotina, nesse momento, parecem muito diferentes –desde o agendamento até a própria consulta – os pacientes precisam de informação. Embora a boa comunicação sempre tenha sido um ponto-chave nas marcas fortes na área da saúde, hoje existem considerações práticas de segurança sanitária essenciais.

Os pacientes querem saber como procurar atendimento e quão seguro é fazê-lo.

Momento propício para uma humanização de marca.

Como isso impacta o marketing médico?

Acredite ou não, para os especialistas em marketing médico, esta é uma tremenda oportunidade de construção de marca – é essencial humanizar suas estratégias de comunicação. Neste momento, 52% dos adultos online no Brasil preferem comprar de empresas que mostram como estão protegendo os clientes contra a ameaça da COVID-19. Portanto, qualquer comunicação proveniente de uma marca de saúde deve ter:

  • Compaixão
  • Credibilidade
  • Utilidade

Pense nas informações de que seus pacientes precisam agora. Por exemplo, temos monitorado de perto as tendências de pesquisa de Coronavírus no Google. Uma rápida olhada revela que as pessoas estão procurando informações sobre sintomas, opções de tratamento e vacinação.

Para atender a essa demanda de pesquisa, os profissionais de marketing médico podem obter informações verificadas e factuais de especialistas no assunto em suas organizações de saúde e disponibilizar esse conteúdo para seus de pacientes por meio de vários canais de comunicação.

3. A experiência do paciente continuará sendo uma prioridade

Tem que ser. Algumas coisas mudaram no processo do agendamento até a consulta. Pré-agendamentos, procedimentos de check-in, modelo de consulta (teleatendimento x presencial) etc. Não é trabalho dos pacientes “descobrir tudo.” – em vez disso, consultórios médicos e organizações de saúde precisam auditar todos os pontos de contato durante a jornada do paciente e, quando necessário, atualizar e aprimorar a interação para que os pacientes se sintam compreendidos e confiantes na segurança de seus cuidados. Como isso impacta o marketing médico?

Conforme mencionado na seção anterior, a comunicação é essencial para moldar a experiência do paciente. Os médicos devem se atentar a alguns pontos importantes no que se refere à comunicação em paralelo à atual situação de pandemia. São eles:

  • Agenda online que seja fácil de ser compreendida pelo paciente;

  • Procedimentos para consultas presenciais e de teleatendimento;

  • Compreensão completa do aplicativo que utiliza para teleconsulta, com a finalidade de ajudar o paciente com possíveis dúvidas e dificuldades;

  • Acomodação e procedimentos especiais para pessoas do grupo de risco em consultas presenciais;

  • Novos requisitos de segurança para consultas presenciais;

  • Informações gerais sobre COVID-19 em locais evidentes (tanto no online – site, por exemplo –, quanto no consultório).

Em seguida, é importante otimizar as próprias experiências. Por exemplo:

  • Atualize o conteúdo do seu site para tornar evidentes as informações sobre a COVID-19 e disponibilidade para teleconsultas, de preferência, com uma página dedicada para isso. Inclua perguntas frequentes e uma chamada (“clique e agende”, por exemplo) direcionando a um botão para agendar um teleatendimento.

  • Caso utilize e-mail para se comunicar com o paciente, passe a personalizar suas mensagens para que agreguem valor à jornada do paciente: a sua política de confirmação e cancelamento de agendamento mudou? Existem informações novas sobre COVID-19 ou mudanças nas operações comerciais que sejam pertinentes enviar aos pacientes?

  • Escolha um aplicativo de teleconsulta que ofereça uma experiência positiva ao paciente. Os aplicativos agora permitem que os pacientes enviem mensagens aos médicos sem uma chamada, carreguem documentos, verifiquem as consultas e vejam os resultados de exames realizados – existem diversos apps no mercado, vale a pena pesquisar. À medida que a área de saúde limita ainda mais as interações pessoais, os aplicativos são/serão um meio fundamental para dar aos pacientes tudo de que precisam de maneira segura e eficaz. Além disso, é possível aumentar o alcance de seus atendimentos, permitindo que você atenda pacientes de diversas partes do país e até do mundo – ferramenta forte quando se trata de marketing médico.

  • Certifique-se de que sua ficha do Google Meu Negócio esteja atualizada para que os pacientes possam encontrar você. Muitas pessoas usam o Google Maps para pesquisar profissionais de saúde nas proximidades, especialmente para atendimentos de urgência. Inclua, nessa ficha que é 100% gratuita de criar, notificações de segurança, para que os pacientes saibam o que esperar antes de entrarem em seu consultório.

4. A reputação da sua marca pode alavancar ou derrubar você

De acordo com a pesquisa da Edelman, 71% das pessoas perderão a confiança em uma marca se sentirem que ela está “colocando lucro sobre as pessoas” durante a pandemia – principalmente para marcas e empresas da área da saúde. O que você (consultório particular) ou sua clínica dizem e fazem terá muito mais visibilidade durante esse ano.

A boa notícia é que 85% das pessoas querem que as marcas usem sua força e alcancem cada vez mais seus consumidores com a finalidade de educá-los (Edelman). Poucas pessoas esperam que as marcas parem de anunciar – elas só querem e esperam que as marcas façam tudo da maneira certa. Além disso, os especialistas em marketing médico estão em uma posição privilegiada para alcançar seus públicos: de acordo com o mesmo relatório da Edelman, 78% das pessoas acham que os médicos são “porta-vozes confiáveis” para as “ações relacionadas ao vírus” de uma marca.

71% das pessoas perderão a confiança em uma marca se sentirem que ela está “colocando lucro sobre as pessoas” durante a pandemia.Como isso impacta o marketing médico?

Visando a um marketing médico que alavanque consultórios e clínicas, podemos afirmar que a reputação da marca e as estratégias de alcance nas organizações de saúde são pontos essenciais para 2021. Portanto, separamos algumas abordagens importantes que você deve atribuir à sua marca/marketing pessoal:

  1. Transparência. Agora não é hora de omitir seletivamente os detalhes. Se seu consultório ou clínica teve que reduzir as operações ou fazer alterações que afetam a experiência do paciente, seja o primeiro a informar o seu público – via redes socias, WhatsApp, e-mail etc. O mesmo vale para como você está tornando o seu local de trabalho mais seguro para os pacientes.
  2. Autoridade é sempre um fator extremamente relevante quando se trata de marketing médico. Lembre-se de que seus pacientes procuram você para obter informações confiáveis ​​sobre seus cuidados de saúde e segurança em meio à pandemia global.
  3. Reputação. Se você ainda não tem alguma forma de permitir que seus pacientes o avaliem como profissional, agora é a hora de fazê-lo. As avaliações positivas não apenas ajudarão a visibilidade e a reputação digital da sua marca, mas também é uma oportunidade de ver e responder ao que os pacientes reais estão lhe dizendo e, talvez, identificar lacunas na experiência do paciente. Além disso, depoimentos positivos são provas sociais muito fortes dentro do marketing médico.
  4. Relações Públicas. Agora não é hora de parar de anunciar nas redes sociais. Mas há uma diferença grande quando se trata das tendências de marketing médico para 2021: em vez de postagens de mídia social chamando a atenção para o bem que a sua marca está fazendo, use essa plataforma para chamar a atenção para as causas que sua marca está apoiando.
  5. Envolvimento da comunidade. Sabemos que as pessoas estão se voltando, mais do que nunca, para os profissionais de saúde em busca de informações confiáveis. Use esta oportunidade para fazer a sua análise e dar sua opinião como médico. É uma chance de aumentar a conscientização, responder a perguntas e gerar engajamento entre sua base de pacientes.

5. O investimento em SEO, Google Ads e marketing de conteúdo será cada vez mais necessário

Como direcionar os gastos de marketing de forma otimizada é sempre a principal preocupação dos profissionais de marketing médico. É uma conversa que sempre temos, todos os dias, na MarketMed.

No atual panorama, essa conversa evoluiu para “como podemos redirecionar nossos gastos para melhor apoiar os pacientes – atuais e futuros – dado o ‘novo normal?’”. O volume de pesquisa orgânica (SEO) e paga (Google Ads) no Google não diminuiu; as pessoas estão apenas procurando coisas diferentes. A demanda por conteúdo de alto valor nas redes sociais – ponto chave para um bom marketing médico – não desapareceu; as pessoas estão apenas interessadas em tópicos diferentes.

 Com as informações ao nosso alcance, muitas vezes vamos ao Google para pesquisar qualquer dúvida relacionada a saúde que possamos ter. As pessoas pesquisam no Google seus sintomas quando estão doentes e, neste caso, “exercícios de fisioterapia em casa”.Como isso impacta o marketing médico?

Pensamos sempre nos investimentos que permitirão que o médico enfrente a tempestade enquanto constrói uma reputação da marca e captura tráfego em seu site e redes sociais.

Obviamente, conseguir conteúdo de alto nível é um jogo em médio/longo prazo. Visando como obter o melhor retorno do seu investimento, nossos especialistas em marketing médico selecionaram alguns lugares para se concentrar: SEO local

SEO é o posicionamento em que seu site ou blog estão nas buscas orgânicas do Google. As pessoas procuram cada vez mais consultórios e clínicas a que pretendem ir com o termo “perto de mim” logo em seguida (“cardiologista perto de mim”, por exemplo). É uma prática comum para usuários que pesquisam por uma variedade de necessidades de saúde, incluindo atendimento familiar, de urgência, cirurgias eletivas e exames de rotina.

Sendo assim, otimize o conteúdo do seu site ou blog e deixe sua ficha no Google Meu Negócio sempre atualizada para que o seu público local o encontre com mais facilidade. Isso vai ajudá-lo a capturar novos pacientes agora e no futuro.

Conteúdo de alto valor

Como falado anteriormente, o conteúdo de alto valor é peça chave do marketing médico para a sua alavancagem como médico em 2021. Portanto, pense no tipo de informação de que os pacientes precisam agora, e que só você, como autoridade médica, pode fornecer. Pode ser um guia para manter as crianças seguras ao retornarem à escola, por exemplo; ou um guia inicial para teleatendimento. Os pacientes apreciam um conteúdo rico que os ajuda a cuidar de si mesmos e de suas famílias.

6. A telemedicina se tornará mais prevalente

A necessidade é uma grande motivadora. Por isso, a COVID-19 criou o ressurgimento das opções de telemedicina (também conhecida como “telessaúde”). Embora algumas consultas ainda exijam visitas presenciais, as marcações de telemedicina são adequadas para visitas que não exigem um exame cara a cara.

Isso ajuda a limitar a exposição e a propagação, ao mesmo tempo que mantém os pacientes e os profissionais de saúde mais seguros.

Além disso, a telemedicina oferece aos médicos uma maneira de ver e avaliar as pessoas com sintomas de COVID-19 sem exposição direta. Embora a telemedicina não substitua a saúde tradicional, prevemos que esses tipos de consultas se tornarão mais comuns, essenciais e, no ponto de vista do marketing médico, vantajosa para segmentos específicos de mercado.

A telemedicina se torna uma ferramenta poderosa para os médicos em 2021.Como isso impacta o marketing médico?

É função dos profissionais de marketing médico criar consciência e demanda em torno da telemedicina. Por isso, pontuamos aqui algumas ações de alto nível para que você possa divulgar e impulsionar o seu teleatendimento:

  • Construa uma estrutura para o futuro. Consultórios e organizações de saúde devem examinar como a telemedicina se encaixa em sua estratégia de longo prazo e estabelecer as bases para o futuro.
    Pergunte a si mesmo: seu público-alvo deseja telemedicina? Eles são tecnicamente experientes? A telemedicina o ajudará a atender melhor os pacientes?
    Agora, pense nos próximos 10 anos: Como você pode preparar seus atuais pacientes para a telemedicina à medida que envelhecem, visto que essa forma de atendimento é uma tendência para o futuro?

  • Crie uma página em seu site dedicada para a telessaúde e mantenha atualizadas sua ficha no Google Meu Negócio, suas contas nas Redes Sociais e outros canais direcionando-os para esta página de destino específica para teleatendimento.

  • Divulgue aos seus pacientes por meio de campanhas de e-mail, mensagens de texto e postagens em redes sociais. Torne mais fácil para os pacientes obterem todas as informações de que precisam para aproveitar as vantagens nessa sua nova opção de atendimento.

  • Anuncie para novas pessoas. Utilize o impulsionamento nas redes sociais e no Google Ads para captar novos pacientes que desejem ser atendidos por teleatendimento. É possível atingir o seu público certo através das ferramentas de divulgação.

A página deve ser informativa, educando os pacientes sobre o que é telemedicina, como funciona e as perguntas mais frequentes. Tente incluir depoimentos em vídeo de pacientes satisfeitos com o seu teleatendimento. 

A telessaúde ainda é uma novidade para muitos (inclusive para especialista em marketing médico) e, por isso, pode assustar um pouco gerar novas objeções, tanto aos médicos, quanto aos pacientes. Porém, para os profissionais de marketing médico, é uma ferramenta de alto alcance, que permite você atender pessoas de todo o mundo, promovendo dinamismo, comodidade e, atualmente, segurança.

7. Profissionais da saúde (e de marketing médico) se apoiarão em serviços inovadores

A medicina está sempre na vanguarda das inovações em tratamento e tecnologia. No entanto, a pressão sobre as práticas médicas para desenvolver novas maneiras de tratar e melhorar as experiências dos pacientes promete aumentar em 2021 – especialmente por conta da pandemia.

Da modelagem 3D em cirurgia ao uso de inteligência artificial para diversos tratamentos, o ritmo das inovações na área de saúde é estonteante. Quando falamos sobre a experiência do paciente, podemos pontuar: telemedicina, cuidados e diagnósticos na calçada, novos aplicativos de saúde e chatbots nas redes sociais (respostas automáticas para o agendamento rápido de consulta via chat nas mídias digitais, site ou WhatsApp).

Como isso impacta o marketing médico?

Por mais avançada que toda essa tecnologia possa ser – e por melhor que seja quando se trata da experiência do paciente – a adoção e a conscientização não acontecem por si só. Muitos pacientes não aproveitam (e não vão aproveitar) essas inovações, pois não sabem que existem ou não as entendem. O marketing médico também é responsável por alcançar esse público que desconhece tais inovações.

Para aumentar a adoção, os profissionais de marketing médico devem comunicar com eficácia esses novos serviços. Por isso, separamos aqui alguns exemplos que já vêm acontecendo ao redor do mundo:

• Os criadores do aplicativo PreeMe + You (utilizado nos EUA) fizeram campanha em torno de como os dados do aplicativo são usados em pesquisas para melhorar a experiência do paciente e os resultados com partos prematuros.

• Médicos transmitiram cirurgias cerebrais usando o Facebook Live e já usaram realidade aumentada (RA) para simular problemas de saúde e tratamentos.

Aos olhos do marketing médico, você precisa considerar maneiras de dar aos seus potenciais pacientes uma visão dos bastidores (com o consentimento do paciente, é claro). Mais do que nunca, os pacientes querem informações completas sobre cada etapa dos procedimentos médicos que estão considerando realizar, incluindo as precauções de segurança que você toma.

8. A experiência do paciente – online e offline – será um fator decisivo

Sabemos que é essencial melhorar a experiência do paciente assim que acessam nossas páginas. Logo, o Google já pensa assim e irá ranquear as suas páginas pensando na experiência do seu paciente: em uma postagem do blog da Central do Webmaster do Google em maio de 2020, a empresa anunciou que a Rede de Pesquisa do Google levará em consideração a experiência do usuário dentro do site – ou seja, agora, o algoritmo do Google consegue entender e medir se os usuários que navegam nas suas páginas tiveram um boa experiência ou não e utilizam esses dados para ranquear seu site nas buscas da plataforma.

O que isso realmente significa é a necessidade de criar experiências sem esforço para os pacientes de todos os níveis de habilidade e alfabetização digital enquanto buscam seus cuidados por meio de seu site. Basicamente, se o seu site carrega rápido, se é fácil de navegar e se pode ser acessado em todos os dispositivos e plataformas (principalmente nos celulares).

A experiência do usuário é mais importante do que nunca para um marketing médico eficiente. Se suas plataformas digitais e portais de pacientes forem complicados de usar, a experiência será prejudicada. Certifique-se de testar os seus canais, se colocando no lugar do paciente, e otimize cada ponto que ache relevante.

Quando falamos em consumidor, às vezes esquecemos que o paciente também é um cliente e que deve, mais do que em qualquer outra indústria, ser tratado da melhor forma possível, oferecendo a melhor experiência.Para encerrar: os pacientes são a prioridade

Um tema unificador de todas essas tendências de marketing médico em 2021 é a experiência do paciente. Para se destacar na área da saúde de 2021 em diante, será necessário inovar, comunicar, anunciar e fazer um marketing médico empático (coloque-se sempre no lugar do paciente) – marketing de empatia, se preferir. Não importa onde você concentre sua energia, a experiência do paciente deve ser sempre o ponto de partida e o cerne do marketing médico. Lembre-se de que a COVID-19 é apenas um desafio enfrentado por sua base de pacientes.

Portanto, a comunicação será essencial para conectar os pacientes aos cuidados de que necessitam. Não é disso que se trata o médico? Adaptar-se à volatilidade do mercado e se conectar com os pacientes de uma forma que agregue valor à sua jornada, alavancará seu consultório como você nunca viu antes.

A geração de demanda não será um problema.

Pois a necessidade de saúde de qualidade não vai a lugar nenhum. Acontece que os pacientes estão mais experientes e seletivos do que nunca.

Autor: Bernardo Carneiro | Coordenador de Marketing na MarketMED,
Especialista em Processos e em Marketing na área da saúde

MarketMed: Pioneira em marketing médico no Brasil

Deseja falar com um consultor agora mesmo ? Clique aqui.

⠀ ⠀


Publicado por: marketmed

187 visualizações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *